quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

João Dantas despede-se da Câmara Municipal de Campina Grande


Por
Lidiane Fernandes

Possuidor de uma personalidade única. Oposição assumida sem medo do que diz. João Crisóstomo Moreira Dantas, mais conhecido como João Dantas, possui militância política desde a adolescência durante os movimentos estudantis.

Como seguidor de um grupo político do qual já esta há 40 anos. Estar no exercício do mandato ou não é apenas um detalhe para ele, pois seu envolvimento nas atividades que dizem respeito à Campina e à Paraíba é frequente.

Durante 04 meses ocupou uma das cadeiras na Câmara Municipal de Campina Grande no lugar do vereador Marcos Raia. Que precisou se ausentar por motivos pessoais. No próximo dia 19 de dezembro João Dantas irá deixar a “casa” quando chega ao fim à licença de Marcos Raia.

“Tenho múltiplas atividades em vista. Sou pré candidato a Deputado Estadual, e minha vida política continua. A cada dia se adquire mais experiências e se vive novos momentos. A vida nos proporciona surpresas a cada dia e em meio a estes desígnos do tempo e da própria criação, continuamos a vida com todo prazer. Campina Grande é o meu mundo, assim como a Paraíba. Desejo a todos um Feliz Natal e Prospero Ano Novo. Que seja um ano de realizações, de menos problemas sociais e bem mais empregos.” Diz João Dantas, já com tom de despedida da “casa” de Felix Araújo.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Resumo (Câmara Municipal de C. Grande – 16/12/2009)


Por
Lidiane Fernandes

Realizada na manhã desta quarta-feira (16) a eleição para a composição da Mesa Diretora do Biênio 2011/2012. Confira abaixo os vereadores que fazem parte da Mesa:

Presidente: Nelson Gomes Filho (PRP)
1º vice-presidente: Pimentel Filho (PMDB)
2º vice: Alcides Cavalcante (PRP)
1º secretário: Tovar Correia Lima (PSDB)
2º secretário: Inácio Falcão (PSDB)

Atendendo ao Projeto de Resolução de número 038/2009 que foi aprovado por maioria em sessão ordinária nesta terça-feira (15) a Câmara Municipal de Campina Grande antecipou o pleito. Que contou com uma única chapa inscrita.
Com 11 votos favoráveis, 04 contra e uma abstenção a chapa eleita tomará posse em 01 de janeiro de 2012.

Resumo (Câmara Municipal de C. Grande – 15/12/2009)

Por
Lidiane Fernandes

Sessão com inicio às 9:30 h sendo presidida inicialmente por Antônio Pimentel (PMDB) e secretariada por João Dantas que também realizou a leitura do texto bíblico.

Após a leitura do expediente, das atas e dos requerimentos, tiveram inicio as discussões do dia. Fernando Carvalho (PMDB) justifica sua propositura, que pretende coibir a permanência de cães na pista de Cooper na Avenida Juscelino Kubitschek, tendo em vista o grande número de pessoas que realizam caminhadas no local, além da sujeira produzida pelos animais que alguns donos insistem em não recolher. Carvalho também fala do pedido de uma nova audiência pública para se discutir a implantação do código sanitário em Campina Grande.

Olimpio Oliveira (PMDB) comenta o que se deve ter ao caminhar com um cachorro de grande porte, como focieira, catar os dejetos dos cães, e fala que tudo isso já é Lei.
Jóia Germano (PRP) afirma que a preocupação com os cães nas vias de caminhada não se restringe apenas a Avenida Juscelino Kubitschek, mas também no Açude Velho. E outra preocupação segundo o vereador seria o estado que se encontram as calçadas do Açude Velho que também oferecem riscos as pessoas que caminham no local.

Perón Japiassu (PT) alega que estão tirando o espaço do pedestre nas calçadas e colocando placas de publicidade e cita um caso particular, onde houve afixação de uma placa na calçada da casa de seu sem a devida autorização.
Alcides da Weider (PRP) entra com um requerimento de urgência especial para a tramitação do Projeto de resolução que altera a redação do artigo 16 da Resolução n° 070/95 que dispõe sobre a renovação da Mesa Diretora da Câmara Municipal e dá outras providências.

A sessão é suspensa por 5 minutos e a discussão do requerimento é feita na ordem do dia.
Fernando Carvalho (PMDB) fala que compreende que um requerimento de urgência especial dispense as exigências regimentais, no entanto alega que o requerimento não foi lido durante o expediente. E afirma que sua bancada irá ser contrária ao pedido de urgência especial.
Ivonete Ludgério (PSDB) lembra que a antecipação das eleições para mesa diretora já foram antecipadas em algumas cidades.

Durante a justificativa de voto Antônio Pereira (PSB) fala que a antecipação da votação desqualifica os demais candidatos. Cassiano Pascoal (PSL) alega que a partir do momento que a eleição for antecipada irá ferir a democracia. E Olimpio Oliveira (PMDB) declara que não basta ser legal, mas o processo também deve ser moral. E pede para ouvir o autor do requerimento Alcides da Weider (PRP) em relação à importância da antecipação da eleição da mesa diretora.

Houve mais discussões sobre o assunto em questão, até a votação do Projeto. Que foi aprovado por maioria após parecer favorável do relator Inácio Falcão (PSDB). Fica então decido a antecipação do processo de eleição da Mesa Diretora do Poder Legislativo que será realizada nesta quarta (16).

Fernando Carvalho (PMDB) deixa registrada sua indignação e revolta pela antecipação das eleições e lamenta profundamente a ato que seus companheiros praticaram que ele considerou como um golpe. E mais, afirma que esta decisão de antecipar a votação da mesa diretora poderá acabar na justiça.

Em explicações pessoais João Dantas usou a Tribuna para cobrar da Justiça Eleitoral que julgue a Ação de Investigação Judicial Eleitoral onde o Ministério Público pediu a cassação dos diplomas do prefeito reeleito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) e do vice José Luiz Júnior (PSC), denunciando suposto abuso do poder político e econômico e captação ilícita de recursos e sufrágios, através de contrato da Prefeitura Municipal com a empresa Maranata Construtora e Prestadora de Serviço Ltda. no valor de R$ 10,6 milhões para prestação de serviços.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Inácio acusa Energisa de locação do espaço pertencente à nação


O vereador Inácio Falcão (PSDB) acusou a Energisa de locação do espaço pertencente à nação

“Foi apresentada a emenda ao Projeto do Código do Meio Ambiente. Esta emenda foi aprovada pelos vereadores e fala que o município de Campina Grande tem por obrigação cobrar a locação dos postes localizados nas ruas e praças públicas de Campina Grande, aonde empresas como a ENERGISA vem utilizar os espaços públicos com os direitos adquiridos que compraram a concessão pública de administrar a energia de Campina, mas não tem o direito de alugar um bem que é da nação, pois estão localizados em espaço público.
Colocamos essas emendas que o município de Campina Grande tem a obrigação de cobrar e estamos criando uma CPI para investigar a ENERGISA, pois segundo acessória jurídica este postes são locados as empresas de TV a cabo, as empresas de telefonia. Isso é crime, alugar um espaço que não é da ENERGISA e sim da nação. Esta é uma denuncia muito grave e estamos apurando, e iremos denunciar junto a Policia Federal, para que os culpados sejam punidos.”

Afirma o vereador Inácio Falcão em relação ao uso indevido dos postes, que estão sendo alugados pela ENERGISA a empresas de TV a cabo e de telefonia.

Pimentel orienta a população sobre as instalações de antenas


Por Lidiane Fernandes

O vereador Pimentel Filho (PMDB) disse que existe toda uma legislação para se instalar uma antena em Campina Grande.

"Hoje já não se pode instalar uma antena em um terreno que possua um raio menor que 30 metros. Será necessário um raio de no mínimo 60 metros para a instalação. Isso dificultará a instalação de antenas nas proximidades de casa e prédios. As antenas que já estão instaladas terão um ano a partir do vigor da Lei para se adequar. Após este prazo as antenas irregulares serão retiradas".

Segundo ele, isso não irá acabar com o sinal de celular, pois as empresas poderão fazer um investimento no sinal via satélite como já é feito em lugares a exemplo de Brasília. Diz Antônio Pimentel se referindo à instalação discriminada de antenas nas proximidades das casas e no topo de prédios na cidade de Campina Grande.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Horto Florestal Lauro Pires Xavier a serviço de uma Campina mais verde


Por Lidiane Fernandes

Grande parte dos vegetais que arborizam e ornamentam praças, parques e creches de Campina Grande - PB são produzidos no Horto Florestal Lauro Pires Xavier. Situado às margens do açude de Bodocongó, em Campina Grande – PB, com uma área de 250m2, teve esse nome dado, em homenagem ao engenheiro agrônomo, botânico, ecologista, membro da Academia Paraibana de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico, Lauro Pires Xavier que lutou a favor da ecologia nos tempos em que quase ninguém se preocupava com o assunto. Devido a toda sua luta a favor da fauna e flora paraibana, recebeu esta homenagem. Justificou dessa maneira o então vereador Luiz Antônio Cabral, que prescreveu a Lei n.º 047/94 onde intitula o Horto Florestal.

Elpídio de Almeida foi o prefeito que mais arborizou Campina Grande, em termos proporcionais, desde o final dos anos 40 no século XX, quando realizou amplo projeto de urbanização orientada pelo ambientalista e botânico, Lauro Pires Xavier. Já mencionado anteriormente.
Foi Lauro Pires, como secretário de Elpídio de Almeida, quem criou o primeiro Horto Florestal de Campina Grande, no começo a sede ficava no atual município de Lagoa Seca, onde é hoje a Escola Agrícola Assis Chateaubriand, da UEPB. Depois o horto foi transferido para junto do açude de Bodocongó.

O Horto Florestal Lauro Pires Xavier, é uma importante unidade mantida pela prefeitura no sentido de preservação e conservação de espécies. Onde são produzidos vegetais com características exclusivamente de arborização ou ornamentação urbana. São produzidas milhares de mudas mensalmente, das mais diversas espécies. Entre elas se destacam: Flamboyants, aroeira, comigo-ninguém-pode, ipês, além de várias outras espécies frutíferas e ornamentais.

Contudo, o ecologista da Associação de Proteção Ambiental (APAM), Roberto Almeida, afirma que Campina Grande possui hoje um déficit de mais de 100 mil árvores. Segundo o ambientalista, poucas áreas do Estado ainda conservam as chamadas matas nativas. "Temos pouco mais de 100 hectares de terra em São José da Mata e 20 hectares em Lagoa Seca que ainda não foram destruídas", observou Roberto.

Através do viveiro, o município tem condição de aumentar as áreas verdes. A produção de mudas de pequeno porte são destinadas à ornamentação do perímetro urbano, proporcionando melhor qualidade de vida à população. A manutenção do horto ajuda na preservação de espécies nativas, como também das espécies em risco de extinção.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Cristal Quebrado


Por Lidiane Fernandes
O amor... O mais belo e puro dos sentimentos pode ser equiparado ao cristal. Pedra preciosa, transparente, belíssima, porém tão frágil que ao se quebrar jamais se emenda. Podemos correr o risco de tentar esconder as marcas. Mas elas sempre estarão ali para nos lembrar o quanto aquele cristal um dia já foi perfeito. Mas quebrou. E não será o mesmo JAMAIS.

Às vezes, o perdão serve como uma “super cola” que une e deixa a primeira vista tudo como era antes. Mas de perto podemos observar que existem fagulhas, pequenos fragmentos que passam despercebidos na hora de colar, e fazem a diferença. Juntamos os cacos despedaçados ao chão. Mas onde vão parar esses pequenos fragmentos que faltam na hora da colagem? Onde ficam as fagulhas?

Talvez o amor não devesse ser como o cristal, frágil e delicado. Mas como o diamante, duro e lapidável. Quem sabe dessa maneira as marcas seriam diminuídas e as mágoas menores.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Resumo da Sessão da Câmara Municipal de Campina Grande – 18/10/2009

Por
Lidiane Fernandes

Sessão presidida inicialmente por Cassiano Pascoal (PSL) e secretariada por Rodolfo Rodrigues (PR). A leitura do texto bíblico ficou por conta do vereador Tovar Correia (PSDB). Após a leitura do expediente foi justificada a ausência de Antonio Pimentel (PMDB).
Fernando Carvalho (PMDB) discute o requerimento de sua autoria que requer moção de congratulações ao Jornalista Edson Souza pela elaboração do informativo Plenário em Foco. “O informativo chama a atenção pela maneira respeitosa que trata os vereadores. Todos têm espaço, independente de bancada ou partido” diz Fernando Carvalho (PMDB).
O trabalho realizado pelo jornalista Edson Souza, ainda foi elogiado pelos vereadores: Nelson Gomes (PRP); Daniella Ribeiro (PP); Perón Japiassu (PT); João Dantas (PTN) e Antonio Pereira (PSB).
Rodolfo Rodrigues (PR) discute o requerimento se sua autoria solicita a secretaria de educação do Estado, campanha de conscientização contra a fixação de cartazes nas paredes dos estabelecimentos de ensino. Requer ainda da Prefeitura de Campina Grande em parceria com o corpo de Bombeiros desenvolvam campanha contra queimadas em terrenos baldios.
Olimpio Oliveira (PMDB) comenta o requerimento de Rodolfo Rodrigues (PR) e lembra que também há um projeto de Lei de sua autoria em relação a fixação de cartazes em prédios públicos.
Antonio Pereira (PSB) Parabeniza Rodolfo Rodrigues (PR) pela preocupação com a paisagem urbana. Pois há excesso de cartazes espalhados pela cidade, causando grande poluição visual e produzindo lixo.
João Dantas (PTN) também trata do requerimento de Rodolfo Rodrigues (PR) e sugere uma emenda. Que seja colocado um mural em local visível nas instituições de ensino. Em lugar de colar cartazes desordenadamente.
Perón Japiassu (PT) menciona que após o período eleitoral os vereadores têm que fazer a retirada dos cartazes utilizados na campanha. O mesmo deveria ser feito com os responsáveis pelos eventos realizados na cidade. O que é observado é a colocação desordenada de cartazes, muitas vezes sem previa autorização.
Fernando Carvalho (PMDB) afirma já haver projeto de Lei, inclusive de sua autoria. Que trata da proibição de a fixação de cartazes em órgãos públicos. E por a escola se tratar de um órgão público também esta inserido neste contexto. Contudo é necessário que haja a aplicabilidade da Lei.
Fazendo uso da tribuna livre, o professor do PROJOVEM URBANO Carlos Pereira de Almeida declara indignação. Através de uma nota de repudio lida na “casa de Felix Araújo”, o professor traz denuncias que vão desde divergências no edital até promessas feitas, porém não cumpridas até o momento. O aluno do PROJOVEM URBANO Michael Alisson confirma a capacidade e dedicação dos professores. E que tem que se correr atrás de seus direitos, pois há muitas promessas não cumpridas.
Fernando Carvalho solicita a gravação da sessão, em especial a fala do professor Carlos Pereira. Para que sejam tomadas as devidas providencias, e apurar melhor as denúncias.
João Dantas (PTN) afirma que as denuncias realizadas na tribuna livre já tramitar no Ministério Público.
Finalizando a sessão temos o pedido de urgência especial do vereador João Dantas (PTN) para conceder titulo de cidadania à: Dr. Medeiros, José Pereira (Papai Noel oficial) e Dr. Luiz Inácio Filho.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Resumo da Sessão (Câmara de C. Grande – 17/10/2009)


Por
Lidiane Fernandes

Sessão de terça-feira (17) presidia por Antônio Pimentel (PMDB) e secretariada por Fernando Carvalho (PMDB), que também fez a leitura do texto bíblico Gálatas 5:14. Após os ritos habituais da “casa”; leitura de ofícios, atas, requerimentos entre outros tiveram inicio as falas dos vereadores.
O primeiro a fazer uso da palavra foi João Dantas (PTN) que agradeceu o convite para a celebração das bodas de prata. Passagem dos 25 anos de casado do vereador Antonio Pimentel.
Entrada de requerimento de urgência especial, o qual requer a mesa diretoria que seja considerada de urgência especial, a tramitação do projeto de Lei 250/2009 e 218/2009.
Os demais requerimentos foram dos vereadores Antonio Pimentel (PMDB), Fernando Carvalho (PMDB), Ivonete Ludgério (PSDB), Daniella Ribeiro (PP), Alcides Weider (PRP), (Inácio Falcão (PSDB), Tovar Correia (PSBD).
Fernando Carvalho (PSDB) comenta o requerimento do vereador Alcides Da Weider (PRP) onde é requerido à Sosur um coletor de lixo nas ruas Bento Figueiredo com Olegário Maciel. O vereador fala que em alguns casos o uso do coletor de lixo se transforma em um pequeno lixão, pois o lixo é depositado também ao seu redor. Antonio Pimentel (PMDB) também compartilha da mesma opinião que Fernando Carvalho (PMDB) em relação a colocação do coletor, pois como não há uma regularidade no recolhimento do lixo. Acontece em dados momentos a queima desse lixo.
Perón Japiassu (PT) lembra que em São José da Mata já foi realizado o pedido para retirada deste tipo de coletor, exatamente pela falta de periodicidade da retirada do lixo e a população ocasionou a queima deste lixo dentro do próprio coletor.
João Dantas (PTN) comenta matéria veiculada no site PB Agora, onde é mostrando a indevida utilização do funcionalismo público. Segundo a matéria o Governador José Maranhão estaria utilizando funcionários públicos em suas fazendas. Pessoas que recebiam através da Prefeitura de Araruna, para trabalhar nas fazendas do Governador.
Rodolfo Rodrigues (PR) subscreve o requerimento de João Dantas (PTN) e ainda afirma que esta não é a forma correta de se trabalhar. Trata-se de um absurdo.
Tovar Correia (PSDB) fala ter realizado na manha de sábado visita ao Conjunto Antonio Mariz. E recebeu denuncia de uma moradora. Há 30 dias a comunidade se encontra sem médico.
Rodolfo Rodrigues (PR) comenta o requerimento de sua autoria que trata da colocação de postes de energia por parte da Energisa na Estação Velha. Pois não se admite que uma cidade no porte de Campina Grande, ainda existam pontos sem iluminação publica.
Inácio Falcão (PSDB) fala da relevância do requerimento de Rodolfo Rodrigues (PR). E de alguns procedimentos que não deveriam ser adotados na cidade. A exemplo da locação dos postes a empresas privadas.
Laelson Patrício (PT do B) Lembra que o abuso por parte da Energisa já foi tratado na “casa”.
João Dantas (PTN) denuncia a expulsão do comerciante Macleson de Araújo Costa, da galeria central que funciona na garagem da Biblioteca Pública Municipal Félix Araújo. O comerciante usou a Tribuna da Câmara ara apresentar um memorial apontando várias irregularidades na desapropriação, ocupação e distribuição de boxes na galeria central. No entanto o comerciante foi expulso da galeria sem maiores explicações. O vereador pede para o fato seja apurado para evitar novas perseguições futuras.
Os dois Projetos de Lei de autoria do Poder Executivo campinense em pauta foram a provados. Um deles concede reajuste aos agentes de trânsitos e outro faz doação de um terreno á Associação dos Moradores do Jardim 40.
Apesar de alguns vereadores considerarem baixo o valor proposto pela Prefeitura. O Projeto de Lei n 250/09, concede reajuste salarial aos agentes de transito de Campina Grande. E contem uma emenda da vereadora Daniella Ribeiro que no artigo 2º diz que as despesas com a execução desta Lei correrão á conta das respectivas dotações constantes no orçamento vigente, suplementadas de necessárias, com previa autorização legislativa.
Finalizando a sessão, Rodolfo Rodrigues (PR) menciona a falta de organização na elaboração do orçamento 2010. Não existe sumário para um melhor acompanhamento. “Se há descaso na organização do orçamento. Imagine em seu cumprimento” diz o vereador.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Resumo da Sessão da Câmara (C. Grande – 05/11/2009)

Por
Lidiane Fernandes

Sessão presidida pelo vereador Antonio Pimentel (PMDB) e secretariada por Tovar Correia (PSDB), após os ritos normais da “casa”; leitura do expediente, das atas e dos requerimentos. Alguns vereadores parabenizaram o presidente da “casa”, Nelson Gomes Filho (PRP) pela passagem de seu aniversário e o vereador Rodolfo Rodrigues (PR) pelo nascimento de sua filha, Valentina.

Rodolfo Rodrigues (PR) traz o requerimento que trata do voto de aplauso a senadora Cátia Abreu. Parabéns pela coragem e atitude de quem tem a coragem de enfrentar o contraditório. Referente a aprovação da CPI do MST.
Daniella Ribeiro (PP) lembra que ainda não foram repassadas as premiações das quadrilhas juninas de Campina Grande. Até o presente momento o valor não foi pago pela Prefeitura, desde junho.

Inácio Falcão (PSDB) menciona que Tovar foi muito feliz na elaboração do requerimento que inclui o exame de toxoplasmose nos exames de rotina do pré-natal. E sugere que seja realizada uma sessão especial ou até mesmo uma tribuna livre com os dirigentes Instituto de Saúde Elpidio de Almeida – ISEA.

Daniella Ribeiro (PP) agradece as orações feitas pela sua irmã que se encontra doente. Comenta o requerimento do vereador Tovar sobre a retirada de lixo nas proximidades do campo do CSU no Monte Santo. E chama a atenção para a educação ambiental dos moradores.
Fernando Carvalho (PMDB), lembra que este assunto da educação ambiental já havia sido discutido na “casa” e fala que mesmo o carro do lixo passando, em alguns locais os moradores insistem em jogar os dejetos sólidos em locais públicos.

Antonio Pereira (PSB), expressa sua preocupação em relação ao lixo. Neste propósito apresenta um projeto que prevê a coleta dos resíduos sólidos na cidade. E menciona o exemplo de lixo que é encontrado nas proximidades da igreja do Rosário na Prata.
Perón Japiassu (PT) diz que quando há conservação das praças, os cidadãos se vêem na obrigação de manter o local limpo.

Laelson Patrício (PT do B) fala da possibilidade de colocar fiscais nas proximidades das praças para evitar o acumulo e lixo e até mesmo para manutenção das praças.
Daniella Ribeiro (PP) trás a “casa” a discussão sobre a distribuição de saches de gel lubrificante. A vereadora faz um comparativo de prioridades, já que na próxima quarta – feira será realizado jogo entre Campinense e Vasco em nossa cidade e no entanto o campo não se encontra adequado para o jogo. Contudo o Governo da PB vai distribuir sachês de gel lubrificante para facilitar prática sexual, segundo matéria veiculada no site Click PB. A licitação para a compra do produto será aberta nesta sexta-feira (6) e a empresa contratada deverá entregar o material em até 30 dias. Cada sache de gel lubrificante deverá ter 5g e a indicação de distribuição gratuita pelo Ministério da Saúde.

João Dantas (PTN) participou na manha desta quinta-feira (05) no programa de Jesimiel Ferreira. Durante o programa recebeu 08 ligações de pessoas que perderam seu emprego depois de anos de trabalho como prestadores de serviço do Estado. E mais, declara haver uma lista para futuras demissões, podendo inclusive já existir pessoas para ocupar os cargos das demais já demitidas.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Resumo da Sessão da Câmara (C. Grande – 04/11/2009)


Por
Lidiane Fernandes

A sessão desta quarta (04) trouxe a tona algo que já havia sido discutido em outras sessões. Que é a repetição ou a grande semelhança de requerimentos e Projetos de Lei, pela falta de um sistema informatizado. O Projeto de Lei do vereador Tovar Correia Lima (PSDB) que institui o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte de Campina Grande, já existe, porém pela falta da informatização dos documentos da “Casa” foi apresentado como novo.

Fernando Carvalho (PMDB) comenta a falta de informatização na papelada da “casa”, e menciona que poderia ser implantado um sistema para agilizar e evitar este tipo de equívoco.
A sessão segue com o vereador João Dantas (PTN) falando sobre a criação de urna contendo: Registros fotográficos, produções literárias e cinematográficas, gravações de áudio e documentos referentes a chegada do trem em Campina Grande. Serão criadas 03 urnas que deveram ficar em locais estratégicos e serão abertas apenas em 02 de outubro de 2057, quando completará os 150 anos da chegada do trem na cidade.

Outro aspecto interessante segundo o vereador João Dantas é a contratação de fotografo para fazer o registro aéreo do espaço em volta da Estação velha, pois as construções daqui a 50 anos estarão bem diferentes, dessa maneira as gerações futuras terão conhecimento dos feitos no centenário da chegada do trem.

Fernando Carvalho (PMDB) parabeniza pela iniciativa de João Dantas (PTN) na criação das urnas, e fala sobre o pedido na sessão anterior para que não fosse votada a resolução enquanto não fosse melhor examinada. Porém toda a resolução foi muito bem detalhista, e todos os aspectos abordados foram claros.

Jóia Germano (PRP) fala sobre o transito e a má distribuição dos agentes da STTP na chegada de João Pessoa, pois existem três agentes que poderiam estar em locais estratégicos para organizar melhor o transito, que em alguns horários tem aumento no fluxo de veículos. Outro assunto tratado pelo vereador é o caso das barracas que foram retiradas do centro da cidade das áreas públicas, porém encontrasse um imenso fiteiro no local onde já foram retiradas uma vez outras barracas. E segundo o vereador Jóia Germano (PRP) o fiteiro pertenceria “a pessoas do Prefeito”.

João Dantas (PTN) comenta a fala de Jóia Germano (PRP) e lembra que esta deve ser uma preocupação não só da “casa” como também de todos os cidadãos. Todas as barracas foram retiradas, porém atualmente se encontra um fiteiro que segundo fontes não oficias pertenceria a um genro ou cunhado de Marcos Marinho, radialista que já passou pela Câmara Municipal como suplente. Existe ainda a pretensão de se colocar outro fiteiro deste tipo em frente ao Banco do Brasil e mais 03 em outros pontos da cidade.

Antônio Pereira (PSB) Fala da inauguração da rede de esgotamento sanitário sábado (31) no distrito de São José da Mata. Ainda trata da questão da segurança pública e do trabalho realizado no Pedregal com o Comandante Marcondi, que contou com a presença do vereador Olimpio Oliveira (PMDB). Foi lido em uma coluna de jornal que os vereadores não estariam mais lutando pelo Meninão. O vereador afirmar se tratar de uma mentira, pois na semana anterior foi aprovado por unanimidade melhorias para o local.

Tovar Correia (PSDB) informa que já foi retirado o Projeto de Lei que criaria o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte.
Olimpio Oliveira (PMDB) trata da portaria do Departamento Nacional de Produção Minerais, na portaria há obrigação da substituição dos garrafões de água mineral por partes dos distribuidores. Pois estes mesmos garrafões passaram a ter um prazo de validade de 03 anos. A preocupação em Campina Grande esta sendo quando o comerciante troca o garrafão no cliente o custo esta sendo repassado para o cliente.

Foram apresentados 03 novos projetos; Proibir a veiculação de propaganda de bebidas alcoólicas em pontos de ônibus na cidade; Proibição de afixação de cartazes em imóveis particulares sem a devida autorização dos proprietários; Inclusão social dos integrantes das associações ou cooperativas de catadores de material reciclável por ocasião dos eventos em ambiente fechados da cidade. Quando estes ambientes forem solicitados para eventos fechados, o material reciclado que for produzido neste ambiente, será destinado as cooperativas.
Fernando Carvalho (PMDB) alega que tanto ele, quanto Olimpio Oliveira são contra os fiteiros irregulares em área pública, porem alegam que o Capitólio é um problema herdado pelo atual Prefeito.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Resumo da Sessão da Câmara (C. Grande – 03/11/2009)


Por
Lidiane Fernandes

Sessão com inicio às 09h30min, sendo justificada a ausência de Daniela Ribeiro (PP), Cassiano Pascoal (PSL), e Rodolfo Rodrigues (PR). Leitura do texto bíblico por Perón Japiassu (PT), leitura das atas e dos requerimentos por Nelson Gomes Filho (PRP).

Após a leitura dos requerimentos do vereador João Dantas (PTN), o próprio justifica sua propositura, onde destaca o requerimento que diz respeito a manutenção dos elevadores. João Dantas (PTN) sugere que a PMCG convoque o CREA e o Corpo de Bombeiro para fiscalizar a manutenção dos elevadores em prédios públicos e privados. O vereador ainda lembra a situação que se encontram as marquises de alguns prédios e alerta para possíveis acidentes se não forem tomadas providencias. O outro requerimento trata de uma moção de solidariedade aos delegados da Paraíba pelo movimento grevista.

Olimpio Oliveira (PMDB) subscreve o requerimento de João Dantas (PTN), porém pede que seja retirado da moção referente aos delegados um termo que considera ofensivo ao Governador do Estado. Após sua fala Olimpio Oliveira (PMDB) pede para se retirar da sessão em virtude da implantação da base comunitária itinerante, sendo inaugurada no Pedregal. Convite feito pelo Coronel Marconi através do vereador a todos os presentes.

João Dantas (PTN) entra com um requerimento de urgência para aprovação de uma resolução de sua autoria, que registra a documentação de tudo o que foi realizado no dia 02 de outubro de 2008, relacionado à chegada do trem em Campina Grande. A resolução institui uma urna que deverá ser colocada em locais estratégicos da cidade e deverá ser aberta em 02 de outubro de 2057 quando serão comemorados os 150 anos da chegada do trem em Campina Grande, foram realizadas diversas atividades nesta data e tudo o que foi realizado, sejam filmagens, materiais impressos e outros deveram constar nesta urna, para que as gerações futuras tenham acesso a documentação referente a chegada do trem na cidade.

Fernando Carvalho (PMDB) sugere que o requerimento seja votado na quinta-feira para se conhecer melhor a resolução para uma melhor contribuição dos demais vereadores. João Dantas concorda.

Não falta de coro é aberto o pequeno expediente, onde João Dantas (PTN) lê matéria publicada no Paraíba Online no dia 30 de outubro do corrente ano. Cujo titulo foi: “Tribunal de contas do Estado multa o Prefeito Veneziano por irregularidade em licitações públicas”. Essa matéria mostra que a Prefeitura Municipal não vai bem em suas prestações de contas e não tem cuidado bem dos recursos oriundos dos tributos pagos pelos contribuintes. Esta denuncia faz referencia a Maranata, e segundo o vereador o processo que esta na Vara da Fazenda Pública, anda em passos de tartaruga.

Perón Japiassu (PT) Deixa registrado que em relação a eleição interna do PT, ele não fugirá da luta. “Até que se abram as urnas, eu não abro nem para um trem” diz o vereador Perón Japiassu (PT).

Fernando Carvalho (PMDB) em relação a fala de Perón, afirma ter havido o cuidado de sua parte em ligar para Arimatéa Souza, Jornalista da área política, que deu a oportunidade de entrar no ar e falar ao publico a sua preocupação em relação a eleição interna do PT.
Antonio Pimentel (PMDB) comenta o descaso da telefonia. A Anatel deveria demitir o representante legal na região, pois os telefones não estão funcionando corretamente e ninguém toma uma providencia. Outra questão é sobre a instalação das antenas. Foi a provado a emenda colocando os parâmetros para instalação, e na pratica não esta sendo obedecido.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

PMCG não repassa verbas para APAE CG




A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campina Grande – APAE CG, é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos e de caráter educacional, cultural e assistencial. As APAE’s de todo o Brasil atuam com o portador de deficiência intelectual, trabalham a parte de prevenção com o teste do pezinho, reabilitação e quando a criança precisa de escolaridade recebe a educação infantil, já está alfabetizado inclui-se na escola regular e dentro da escolaridade temos todos os apoios com os laboratórios presentes no instituto.

A Instituição tem como filosofia promover, articular ações de defesa de direitos, prevenção, orientação e apoio á família, direcionadas á melhoria de qualidade de vida da pessoa com necessidade especial e a construção de uma sociedade mais justa e solidária. Possui uma equipe multiprofissional composta por: Neuro Pedriátra, Fisioterapeutas, Fonoaudiólogos, Psicólogos, Terapeuta Ocupacional, Assistentes Sociais, Professores.

O inicio
A APAE CG foi institucionalizada em 1982 durante a semana nacional do excepcional de 21 a 27 de agosto, promovida pela Secretaria de Educação do Município e algumas autoridades da cidade. Na platéia havia por acaso um parente de um funcionário da Secretaria de Educação, esta pessoa trabalhava em uma APAE no Rio Grande do Sul, ele deu a idéia de fazer uma APAE em Campina Grande, na oportunidade foi feita uma ata de criação, que não chegou a funcionar, depois da semana nacional do excepcional, o Rotary Clube Oeste encampou a idéia. O dono do Hotel Mahatma Gandhi chegou inclusive a fazer doação de um terreno para construção da sede da APAE, mas na condição de se realizar esta construção no período estipulado, caso contrário o terreno retornaria ao dono, apesar de todos os esforços a APAE e das pessoas envolvidas, não foi possível realizar a construção da sede, e assim perdeu-se o direito ao terreno.

Dentro do grupo de idealizadores da APAE CG, estava Maria da Conceição Costa do Rêgo, que é funcionária desde 1982, ela foi responsável por guardar todo o material de institucionalização. Em 1993 um grupo de médico pediatras, entre eles Drª Conceição Medeiros, Drª Santana Florindo atual presidente da APAE CG, tiveram a idéia de fazer um grupo de apoio aos pais das crianças portadoras de algum tipo de deficiência que passavam por seus consultórios. Eles realizavam reuniões no HU e posteriormente na sociedade medica. Com o inicio destas reuniões, descobriu-se que já havia um APAE no papel e a partir daí houve a revitalização da APAE de Campina Grande. No meio deste grupo de pais estava Margarida da Mota Rocha, que havia sido secretaria de educação do município por 10 anos durante o Governo de Ronaldo e Cássio Cunha Lima. Margarida possuía grande prestigio neste grupo político. Na oportunidade o então Governador Ronaldo Cunha Lima cedeu uma casa na Rua Sebastião Nonato, 143 para o funcionamento da APAE.

Hoje
Atendem em torno de 600 pessoas portadoras de deficiência mental e/ou múltipla, onde 70% são oriundas de Campina Grande, e as demais são provenientes de outros 40 municípios do Estado, entre eles São José do Cariri, Junco do Seridó, Gurjão, Lagoa Nova, Queimadas. O atendimento é realizado desde recém nascidos até pessoas da terceira idade, a paciente mais velha tem quase 60 anos.
Possuem 64 funcionários de carteira assinada, que dependem da doação da população para poder receber e ainda 10 pessoas a disponibilizadas pela prefeitura e 12 pelo Governo do Estado, principalmente para questões burocráticas. O espaço físico se divide em 03 blocos, clínico, administrativo e escolar.

Dificuldades
Segundo Valéria Mª Pequeno de Queiroz, funcionária fundadora da APAE CG, a maior dificuldade encontrada é trabalhar sem um orçamento previsto, pois dependem das doações feitas pela população, apesar de ter convênio com a Prefeitura e com o Governo do Estado, no entanto em 2008 não foram repassadas as verbas pelo Governo do Estado e a Prefeitura efetuou o repasse de dois meses em 2008 e em 2009 apenas dois meses até o momento. O convênio com a Prefeitura passou pela da Câmara de vereadores para aprovação do orçamento, mas não há uma regularidade desse repasse. Há a dispensa da parte patronal do INSS por parte do Governo Federal. Contudo, as despesas mensais da Instituição apenas com folha de pagamento fica em torno de 60 mil. Possuem ainda um convênio com a Prefeitura de prestação de serviço com o SUS, onde deveriam receber por consultas e mesmo assim não estão recebendo pelas consultas, nem pelos serviços realizados que só em setembro deste ano totalizaram 4778 atendimento entre fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia entre outros. Caso estes valores fossem recebido a situação da instituição seria um pouco melhor. Tentam sensibilizar a Prefeitura para atualizar o repasse de verbas presente em convenio. Em 2008 tiveram uma audiência com o secretário de saúde do Município Metuzelá Agra. E este ano receberam a visita do vereador Fernando Carvalho (PMDB), que ficou sensibilizado e se dispôs para reativar o convenio com o Governo do Estado para haver uma regularidade no repasse das verbas, mas o vereador ainda não retomou o contato com a instituição.

Outro beneficio para os usuários da instituição que se encontra prejudicado é a equoterapia, a equipe de apoio já se encontra formada e capacitada pela ANDE, há 02 pedagogas, 02 psicólogas, 03 fisioterapeutas, 01 equitador. Mesmo com a equipe formada, o espaço físico pronto, e os cavalos a disposição, apesar de já ter sido inaugurado desde abril, a equoterapia não esta funcionando. Inclusive os 02 cavalos da equoterapia, se encontram na fazenda da ex-presidente e atua diretora social, Margarida da Mota Rocha há quase 03 anos com todas as despesas por conta da mesma. Por conta de questões burocráticas criança e adultos estão perdendo com isso, pois 70% das deficiências são passiveis de prevenção, e os outros 30% tem que haver o tratamento de reabilitação o quanto antes para diminuir os efeitos da deficiência, a equoterapia traria benefícios emocionais, posturais e auxiliaria na reabilitação dos usuários.



Para doações de qualquer valor através de depósito bancário, deverão ser utilizados os seguintes dados:

Favorecido: "Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campina Grande".
Banco do Brasil
Agência: 0063-9
Conta Corrente: 690.000-3
Para mais informações sobre como doar liguem para (83) 3310-4500.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Resumo (Câmara Municipal de C. Grande – 15/10/2009)


Por
Lidiane Fernandes

Após a leituras das atas e dos requerimentos João Dantas (PTN) discute o requerimento da vereadora Ivonete Ludgerio (PSDB) que trata da reforma e reestruturação do complexo esportivo “O Meninão”. Segundo João Dantas (PTN) o complexo se encontra em total abandono e enfrenta sérios problemas, como a invasão que fica nas suas proximidades, o vereador ainda completa que partes das pessoas que moram naquela invasão são inclusive de outras cidades.
A vereadora Ivonete Ludgerio (PSDB) lembra que o próprio nome do complexo esportivo “O Meninão” sugere a quem foi feita a homenagem, e este é um dos motivos pelo qual ele se encontra em estado de abandono. Por motivos de perseguição não são realizadas reformas ou qualquer cuidado naquele local. Ivonete (PSDB) ainda menciona os problemas encontrados no distrito de São José da Mata, como a situação da praça principal e a questão da violência que vem aumentando.
Laelson Patrício (PT do B) destaca o requerimento sobre “O Meninão” e a parabeniza a vereadora por sua iniciativa. Enfatiza os feitos do complexo e anuncia que subscreverá seu nome no requerimento.
João Dantas (PTN) Comenta a fala de Ivonete (PSDB) sobre violência em São José da Mata e fala de uma matéria que saiu no Jornal O Globo em 21/09 deste ano, onde são mostrados índices de violência em diversos estados. O vereador João Dantas (PTN) destaca os índices de São Paulo 19,4% para cada 100 mil habitantes enquanto Campina Grande consegue atinge 21,5% para cada 100 mil habitantes um índice maior que o de São Paulo.
Antonio Pereira (PSB) lembra do regimento interno da “casa” e do tempo de discussão para cada vereador. Antônio Pimentel (PMDB) discute a ordem em que os requerimentos são apresentados e lembra-se de como era anteriormente. Antes lia-se um por um e discutia-se também um por um, no entanto para agilizar as atividades na “casa” agora os requerimentos são apresentados por blocos, e discutidos da mesma maneira.
Perón Japiassu (PT) relembrando a discussão sobre a violência o vereador alega que o aumento da mesma não pode ser atribuída a atual gestão, e que o município de São José da Mata, não se encontra abandonado, pois esta sendo instalada rede de esgoto em breve.
Jóia Gernamo (PRP) pede mais condições para os policiais, para que os mesmo possam oferecer um melhor serviço à população. Antônio Pereira (PSB). Alega não haver abandono com o distrito de São José da Mata ou com a praça.
Olimpio Oliveira (PMDB) menciona o clima olímpico em decorrência das olimpíadas serem sediadas pelo Rio de Janeiro em 2016, e fala que em uma cidade do porte de Campina Grande, quantos talentos esportivos estão sendo desperdiçados. Ainda parabeniza pela passagem do dia do professor e fala dos baixos salários dessa categoria.
Tovar Correia (PSDB) discute melhorias para o bairro do Alto Branco, menciona o inicio de um lixão no bairro e a falta de saneamento em algumas áreas.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Resumo (Câmara de Campina Grande – 14/10/2009)

Por
Lidiane Fernandes


Votação dos requerimentos do vereador Fernando Carvalho (PMDB) que foram discutidos na sessão anterior e por falta de coro não foram votados. Leitura de expediente e requerimento, entre os quais tivemos: Requer da Sosur recuperação de asfalto no Catolé; Instalação de calçamento da Rua João Arlindo Correia no Dinamérica; Requer a Coordenação geral do SAMU campanha educativa nas escolas da cidade contra o trote telefônico; Requer a secretaria municipal de educação, esporte e cultura informações sobre o Programa PROJOVEM; Requer a prefeitura municipal informações sobre critérios de inscrição e seleção em programas habitacionais. Requer a Prefeitura Municipal Informação da tomada de empréstimo para possível pavimentação de 400 ruas em Campina Grande; entre outros.
João Dantas (PTN) discute seus requerimentos e fala da importância dos pedidos de informação, pois através destes pedidos de informação podemos fazer o acompanhamento das ações realizadas, ou as que deixam de ser concretizadas.
Olimpio Oliveira (PMDB) comunica o acontecimento de uma reunião com os defensores dos animais para a instalação do Fórum Municipal do bem estar animal, se reunirão diversos ambientalistas no plenário da “casa” com o objetivo de criar o fórum permanente para discussão de políticas publicas pra o bem estar animal.
Fernando Carvalho (PMDB) pede ao Presidente da “Casa” para que faça o levante da sessão, para que todos os vereadores possam comparecer a inauguração da nova da Feira da Prata.
Tovar Correia (PSDB) evocando o artigo 40 do regimento interno, e fazendo uso da liderança de sua bancada, fala que deveria ser cumprido o regimento interno da “casa” e terminar a leitura e aprovação dos requerimentos, tendo em vista uma obra que atrasou dois anos, os vereadores poderiam atrasar 20 minutos até o termino das atividades parlamentares.
Fernando Carvalho (PMDB) não discorda do vereador Tovar Correia (PSDB), em relação ao artigo 40, apenas pediu o cumprimento de um acordo feito inclusive pelo presidente da “casa”.
João Dantas (PTN) cita o artigo 39 do regimento interno e solicita a sua liderança, na condição de vereador do PTN.
Cassiano Pascoal (PSL) lembra que pela constituição há a liderança do partido quando se tem três ou mais vereadores de um mesmo partido.
Jóia Germano (PRP) alega haver coisas mais importante para o debate do que discutir quem é ou deixa de ser líder. Antônio Pimentel (PMDB) considera todos lideres, pois representam o povo e estão ali pelo voto.
Nelson Gomes Filho (PRP) como já havia sido acordado entre os vereadores o presidente da câmara levanta a sessão para que os vereadores possam comparecer a inauguração da nova feira da Prata.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

HINO OFICIAL DECAMPINA GRANDE

Letra de Fernando Silveira;
Música de Antônio Guimarães


Venturosa Campina Querida,
Ó cidade que amo e venero!
O teu povo o progresso expande,
És na terra o bem que mais quero!
O teu céu sempre azul cor de anil,
tuas serras de verde vestidas
salpicadas com o ouro do sol
ou com a hóstia dos brancos luares!
Eterno poema
de amor à beleza,
Ó recanto abençoado do Brasil!
onde o Cruzeiro do Sul
resplandece,
capital do trabalho e da paz.

Oficina de ilustres varões,
Canaã de leais forasteiros,
és memória de índios valentes
e singelos e alegres tropeiros!
Tua glória revive, Campina,
na imagem dos homens audazes,
aguerridos heróis de legendas
que marcaram as tuas fronteiras!

sábado, 10 de outubro de 2009

Memória: A Tragédia da Queda do Avião em 1958

Por: Severino Lopes (Diário da Borborema)

De longe, é possível ver uma imensa cortina de fumaça formada nos céus da cidade. As chamas atingem mais de 300 metros de altura. Minutos depois, dezenas de viaturas partem em alta velocidade e atravessam as ruas que dão acesso ao aeroporto Presidente João Suassuna, em Campina Grande, com as sirenes ligadas. A pista tem que ficar livre para não atrapalhar o socorro das vítimas. Tudo parece real. As equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Corpo de Bombeiros, PRF, polícias Civil e Militar correm contra o tempo para realizar o resgate das vítimas de uma tragédia aérea. Os feridos, alguns com fraturas expostas, são transportados para os hospitais da cidade. Os "mortos" são levados para UML.Felizmente, tudo não passa de um exercício de emergência aeronáutica Completo realizado pela Infraero para aferir o plano de emergência do aeroporto. No exercício feito com o máximo de realismo e o emprego de técnicas usadas nas das produções cinematográficas, é simulado a queda de uma aeronave com 15 passageiros a bordo. Ao cair na pista do João Suassuna, o avião explode, provocando um grande incêndio, essa é a idéia.Ficção e realidade fazem parte da história do aeroporto Presidente João Suassuna. Há 51 anos, aconteceu o maior acidente com a aeronave na cidade. A tragédia aconteceu em uma noite sombria de sexta-feira, 5 de setembro de 1958.O avião de prefixo LDX do Lóide Aéreo Brasileiro caiu nas proximidades do Serrotão, a dez quilômetros do centro da cidade, matando 13 pessoas e deixando vários passageiros feridos.

Entre os sobreviventes do maior acidente aéreo registrado em Campina Grande, estava o comediante cearense Renato Aragão, o Didi. Na época, Renato Aragão não era famoso. Ele era apenas um estudante de Direito que morava em Fortaleza e estudava em Recife.O avião com 40 passageiros a bordo partiu do Rio de Janeiro. A chuva forte, neblina densa e iluminação precária foram apontados como fatores que contribuíram para a tragédia. Segundo apuraram as autoridades da época, o avião caiu após o piloto ter feito, sem sucesso, várias tentativas de pouso na pista do aeroporto João Suassuna.Como estava chovendo, a pouca visibilidade atrapalhou o piloto. Após realizar algumas evoluções, a aeronave perdeu a altura, caindo sobre um roçado à margem esquerda da BR-230, no Serrotão. Entre os mortos, estavam o comandante e a telegrafista do avião, um médico, um arquiteto e um gerente do Banco do Brasil.ResgateO resgate das vítimas foi feito por policiais do Corpo de Bombeiros para os hospitais Pedro I, Pronto Socorro e Ipase. "Eu lembro que foi grande a correria na redação do jornal. As fotos eram terríveis", recordou o jornalista Joel Carlos, que na época trabalhava como repórter do Diário da Borborema.Testemunha do acidente ajudou no socorro às vítimas


Aos 82 anos, o agricultor Francisco Basílio da Cunha, provavelmente a única testemunha viva do acidente com o LDX do Lóide Aéreo Brasileiro, revelou que no final tarde e começo da noite de 5 de setembro de 1958, ajudou os bombeiros a juntar os pedaços das vítimas da tragédia aérea. "Seu Chico" como é chamado o agricultor, tinha 32 anos no dia do acidente. Ele disse que naquele sombrio final de tarde, começo de noite, estava na roça com enxada na mão limpando mato, quando ouviu um forte estrondo.O agricultor, que morava na fazenda Edson do Ó, localizada no Serrotão, saiu correndo e se deparou com os estragos. O avião, segundo ele, havia se partido em três partes com o impacto. Os passageiros atirados para fora, alguns despedaçados. Francisco foi uma das primeiras pessoas a se aproximar do local onde ocorreu a tragédia. Ao ver o avião despedaçado e os mortos e feridos, Francisco Basílio saiu correndo e foi chamar o seu pai, José Ribeiro da Cunha.Minutos depois, chegou a guarnição do Corpo de Bombeiros, comandada pelo sargento José Rulfino. A cena era muito forte. Mesmo com a memória falhando devido o tempo, Francisco relembra as horas de horror. Francisco disse que ajudou os bombeiros a juntar os mortos. O pai dele também ajudou os bombeiros no trabalho de resgate.Os feridos foram levados para os hospitais de Campina Grande em estado grave. Como o local era de difícil acesso, os bombeiros tiveram muita dificuldade para fazer o resgate.Falando com dificuldade, Francisco Basílio, hoje aposentado, relembra que no dia da tragédia muitas pessoas se aproveitaram para saquear o avião carregando objetos pertencentes aos passageiros.O agricultor, que tem cinco irmãos, sendo que apenas dois estão vivo, disse que passou toda a sua vida lembrando da tragédia. Casado pela segunda vez, pai de seis filhos, todos morando em São Paulo, Francisco Basílio não tem dúvida de que ele é uma das poucas testemunhas vivas do maior acidente aéreo ocorrido em Campina Grande. "Muitas pessoas que viram o acidente já morreram. Eu estou aqui, até quando Deus quiser", brincou.A agricultora Maria José Gomes da Silva era criança no ano da tragédia. Ela conheceu Francisco Basílio anos depois e cresceu ouvindo as histórias de heroísmo do agricultor.No local exato em que aconteceu o acidente foi construído um oratório e uma cruz onde muitas pessoas rezam e pagam promessa.


O local foi batizado de "capela do avião". A agricultora Maria José dos Santos Oliveira, uma das mais antigas moradoras do Serrotão, é uma das pessoas que costuma rezar na capelinha construída no local da tragédia aérea.

A Maior Tragédia de Campina


Era uma bela tarde no animado bairro de Zé Pinheiro. Todavia, o dia 25 de dezembro de 1974 entrou para os anais da história campinense, como o dia da maior tragédia da cidade. Em virtude da explosão de um garrafão de oxigênio, que era utilizado para encher balões infantis. Campina Grande tornou-se manchete em todo o Brasil devido às várias mortes ocorridas naquele dia, além das centenas de pessoas feridas.
Tudo isso ocorreu, em virtude do descuido de um garrafeiro que enchia balões durante a festa, quando imprimiu uma alta pressão na recarga do cilindro, provocando o rompimento do mesmo em vários pedaços.

Com a explosão do artefato, vários pedaços de seres humanos foram arremessados em casas e na Igreja de José Pinheiro. Durante dias, o mau cheiro foi predominante naquele local, chegando a ser comum, pessoas encontrarem nos tetos de suas casas, restos de gente.
O garrafeiro Adval foi apontado com o principal responsável pela explosão, recebendo do Diário da Borborema a alcunha de “O Garrafeiro da Morte”.

Os Bombeiros da cidade trabalharam como nunca naquele dia. Uma das testemunhas da tragédia foi o então cabo José Barbosa da Silva, que relatou a seguinte passagem ao Diário da Borborema: "O telefone não parava de tocar. Muita gente, quase que ao mesmo tempo, ligou desesperado pedindo socorro. Nós estávamos passando pelas margens do Açude Velho quando fomos informados que havia muitas vítimas fatais e que muitas pessoas estavam feridas. Eu estava há pouco tempo no Corpo de Bombeiros, tinha feito o curso de formação de oficiais em João Pessoa e nunca tinha visto uma coisa daquelas. Era muito grito, pessoas chorando em um desespero total. Sangue por toda parte, pedaços de gente pelo chão. Cabeça esbagaçada, pedaço de gente em cima de casa. Tudo foi chocante. Foi um estrago muito grande".
As pessoas feridas, foram para os hospitais Antônio Targino e Pedro I. Aqueles que morreram, foram para a denominada “pedra”, que funcionava ao lado da Central de Polícia.

Um dos sobreviventes da tragédia foi Marcelho Felipe, que ao lado de seus amigos, se aproximaram do cilindro. Felipe chegou a tocar no objeto: "Quem primeiro tocou nele foi Damião que era um amigo. Depois eu toquei nele e logo tirei a mão. Estava muito quente", contou ao Diário da Borborema. Marcelho falou também, que viu o garrafeiro pouco antes da explosão saindo muito depressa. Após isso, só escutou o grande estrondo, sendo Marcelho arremessado para longe. "Foi uma sensação inexplicável. Não sei se eu cai. Eu senti como se estivesse voando. Igual uma folha quando a gente solta", disse ao DB. Após o desastre, o então garoto de 8 anos teve sua perna esquerda amputada e ficou cego de um olho.

Segundo outra testemunha da explosão, Givanildo Pereira da Silva, o garrafão estava vazando desde o momento que foi instalado a alguns metros da Igreja de José Pinheiro. "Eu vi quando ele mandou buscar água em uma mercearia da Rua Campos Sales para colocar em cima da garrafa que estava quente. Era visível que a garrafa estava com defeito. Parte dela apresentava ferrugem. Quando ele abriu, eu vi tudo. A garrafa não tinha nada. Não tinha relógio nem registro. Só tinha a válvula de sair o ar e a tampa de sair e fechar", relatou ao Diário. Givanildo após a explosão, passou quatro dias em coma, com seqüelas nas mãos e nas pernas.

Oficialmente, foram oito crianças mortas, além de centenas de feridos. Em 2007, a triste história foi resgatada em curta-metragem chamado “Os Balões de 74”, do diretor de cinema Luciano Mariz. “Em Meados de novembro de 2006, fazendo uma pesquisa de rotina nos arquivos do Diário da Borborema, me deparei com a primeira página do dia 27 de Dezembro de 1974. A notícia da primeira página atraiu minha atenção: ‘Garrafão explode e enluta Campina nas festas natalinas’, naquele momento a curiosidade foi maior, me esqueci da pesquisa que estava em andamento e passei horas buscando saber mais informação sobre o acidente do garrafão no bairro do José Pinheiro”.

Tivemos acesso ao curta e realmente, relata com fidelidade o drama daquela tragédia. A falta de imagens reais da cobertura da época em vídeo, foi à única falha do filme, mas paciência, talvez elas nem existam. Talvez a procura no acervo de Machado Bittencourt, ou da Rede Globo Nordeste de Recife, pudesse ter sido realizada, mas tirando isso, o filme é muito bom, com entrevistas de sobreviventes, além dos jornalistas que trabalharam no relato para jornais.
O cilindro foi doado para o Museu Histórico da Cidade, infelizmente, não temos a informação se o mesmo ainda se encontra lá. Quem tiver mais relatos sobre esse inesquecível fato, deixem seus comentários aqui no blog, pois forem pertinentes ao enriquecimento do tópico, serão inseridos.

Fontes Utilizadas:
Diário da Borborema (Pesquisa e Fotos)

Blog Retalhos históricos

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Resumo (Câmara Municipal de C. Grande – 08/10/2009)


Por
Lidiane Fernandes


Sessão do dia 08 de outubro (quinta) tendo como início a leitura do texto bíblico por Perón Japiassu (PT). Entre os requerimentos se destacou um pedido de urgência especial que foi votado e aprovado na ordem do dia.

João Dantas (PTN) afirma ser favor da maioria, o prefeito deveria se planejar melhor, pois o projeto chega a “Casa” Felix Araújo mal justificado. Deveria mostrar onde os recursos serão aplicados, pois da maneira que foi apresentado a “Casa” é como se fosse uma espécie de cheque em branco assinado pelos vereadores.

Tovar Correia (PSDB) relata que através da copia do documento encaminhado aos vereadores todos devem acompanhar e cobrar a realização de tudo o que foi prometido pelo Prefeito Veneziano. Entre as realizações estão: O aterro do lixão de Campina Grande; Reforma do teatro Municipal Severino Cabral; entre outros.

João Dantas (PTN) justifica seu voto alegando que respeitou a opinião da maioria, pois a exemplo da coleta de lixo realizada em nossa cidade é segundo o vereador, imprópria e inadequada. Ainda são utilizados caminhões que não atendem as necessidades da população. E mais, cita exemplo do que ocorre no bairro do Santo Antonio, onde moradores juntam o lixo em uma pilha para atear fogo. O vereador João Dantas espera que o Prefeito Veneziano realize todas as promessas presentes no documento em caminhado aos vereadores, pois há uma ameaça da suspensão de vôos em Campina Grande devido à ocorrência de aves sobrevoando as imediações do aeroporto.
Fernando Carvalho (PMDB) agradece e presta um reconhecimento pela votação favorável durante a sessão. Antonio Pereira (PSB) reforça o convite para a sessão que acontecerá a noite na faculdade de Comunicação Social, para discutir a Democratização da Comunicação.

João Dantas (PTN) fala que a diocese de Campina Grande contratou uma empresa de segurança para instalar câmeras e tentar diminuir o índice de meliantes nas proximidades.
Rodolfo Rodrigues (PR) lembra o aniversário da cidade, e lê mensagem parabenizando a todos que aqui residem e tem essa cidade como mãe.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Terminal Rodoviário Argemiro de Figueiredo (Rodoviária Nova)


Por: Lidiane Fernandes

Inaugurado em 25 de maio de 1985, o Terminal Rodoviário de Passageiros Argemiro de Figueiredo, mais conhecido como Rodoviária Nova, esta localizado no bairro do Catolé e conta com 104 mil metros quadrados de área total, sendo 10 mil metros quadrados de área construída, foi considerado uma obra ousada para época de sua inauguração em nossa cidade.

Terminal Rodoviário Argemiro de FigueiredoSegundo o engenheiro de manutenção do terminal, Luiz Carlos Gomes, a rodoviária de Campina Grande esta entre as estruturas físicas mais bem conservadas do país. Em pesquisa encomendada pela Associação Brasileira de Empresas de Transportes Terrestres de Passageiros (Abrati) contatou-se que a rodoviária de Campina é a 3ª melhor do Nordeste, perdendo apenas para Salvador e Maceió. Está em primeiro lugar na região, entre as que possuem administração pública, e foi eleita a 16ª do país.

Quatorze empresas de transporte de passageiros fazem linhas intermunicipais e interestaduais, com destinos às várias cidades da Paraíba e do país, pondo a disposição dos usuários ônibus diários. A estudante Thalita Barbosa, faz universidade em Campina Grande e sempre viaja nos fins de semana e feriado para o sertão, através da rodoviária e elogia o local. “Sempre encontro um bom atendimento por parte dos funcionários, os banheiros sempre estão limpos e me sinto confortável na área de embarque e desembarque”. Relatou a estudante.

O engenheiro civil Hermínio Soares Filho, que trabalha no local há 12 anos, ressalta que mesmo estando entre as melhores do país, a administração do terminal rodoviário pretende oferecer mais beneficio a seus usuários:
“Esperamos realizar pequenas reformas no banheiro e no piso, a exemplo da última que conseguimos fazer, colocamos um fraldário no banheiro feminino, além de um assento infantil também no banheiro feminino. São pequenos benefícios, mas que facilitam o dia-a-dia de nossos usuários”. Disse o engenheiro civil Hermínio Soares Filho.

Apesar de todos esses dados positivos em relação ao Terminal Rodoviário Argemiro de Figueiredo, seu fluxo de passageiros vem diminuindo nos últimos anos. Em média o número de embarque e desembarque fica em torno de três mil, 30 % em relação há 10 anos. A queda no número de passageiros se deve na maior parte ao aumento do transporte alternativo (que cobram o mesmo valor da passagem dos ônibus, ou até menos) e ao continuo funcionamento da Rodoviária velha que recebe ônibus vindos de várias cidades circunvizinhas. A diminuição no fluxo de passageiros ocasionou o fechamento de 50 % das lojas existentes no local. Hoje, são 34 boxes em sua totalidade, no entanto, nem todos funcionam diariamente, além de contar com baixo movimento.
Foto: Internet

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Resumo da Sessão da Câmara (C. Grande – 06/10/2009)

Por
Lidiane Fernandes


Sessão do dia 06 de outubro (terça), sendo aberto com a leitura do texto bíblico por Rodolfo Rodrigues (PR) e seqüenciada pela leitura do expediente pelo vereador Antonio Pereira (PSB). João Dantas (PTN) fala sobre o falecimento de José Barbosa Maia, e pede 01 minuto de silêncio, a “casa” Felix Araújo atende a seu pedido.

Dando seqüência aos trabalhos é lido o requerimento de urgência especial sobre a tramitação do projeto de lei 191/2009 de autoria do poder executivo municipal. Onde é requerida: A. Que seja considerada de urgência especial a tramitação e aprovação do projeto de lei 191/2009 de autoria do poder executivo municipal na presente sessão. B. Que sejam dispensadas todas as exigência regimentais C. Que seja realizada mais uma sessão na data de hoje para aprovação da referida matéria. A ementa institucionaliza a Feira da Prata dispõe sobre suas denominações da outras providencias, Feira da Prata João Felinto de Araújo. Onde foi discutida e provada na ordem do dia.
João Dantas (PTN) menciona a importância de lembrar também o nome dos que fundaram aquela feira e ainda contextualiza a história das construções de mercados públicos em nossa cidade.

Aberto o espaço para explicações pessoais João Dantas (PTN) realiza denuncia sobre o PROJOVEM projeto em execução no município através convenio entre a prefeitura, secretaria de educação, cultura e esportes e o ministério da educação. Toda a documentação elaborada será encaminhada ao ministério público para uma maior apuração das denuncias. O vereador ressalta que o documento não traz sub inscrições dos interessados, que são os professores e os técnicos, para evitar possíveis perseguições.
Fernando Carvalho declara que o Prefeito Veneziano Vital do Rêgo não compactua com esta ação, mas afirma que há atenção para solucionar qualquer problema que tenha sido ocasionado.

Olimpio Oliveira (PMDB) menciona 03 projetos de lei apresentados na “casa”. Primeiro: Dispõe a proibição para utilização de papéis termo sensíveis para uso como comprovantes de pagamentos e em bancos. Segundo o vereador a durabilidade deste tipo de papel é muito pequena, dificultando sua consulta posteriormente. Segundo: Produtos fatiados ou fracionados, como presunto, mussarela entre outros, por exemplo, terão que ser preparados na frente do cliente, para se ter certeza da procedência do produto. Terceiro: A instalação de hidrômetros em cada unidade autônoma dos condomínios em geral. Essa medida estimulará a economia e evitará o desperdício.

Inácio Falcão (PSDB) menciona o problema existente entre clientes e as telefônicas, e a inclusão de nomes em serviços de proteção ao credito, como SPC e SERASA.
João Dantas (PTN) fala novamente do curto espaço de tempo cedido para os vereadores e pede para que seja revisto as ordens da “casa”. Cassiano Pascoal (PSL) sugere que este pedido seja feito de maneira forma.

Para finalizar Rodolfo Rodrigues (PR) reafirma o pedido de pesar pelo falecimento de José Barbosa Maia.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Resumo (Sessão da Câmara de C. Grande – 02/10/2009)


Por
Lidiane Fernandes



Sessão especial para discutir a gratuidade no transporte público de Campina Grande, presidida inicialmente por Rodolfo Rodrigues (PR) e logo após pelo autor da propositura, Antonio Pereira (PSB), e secretariada por Fernando Carvalho (PMDB). Contando com a participação do presidente das escolas particulares, Paulo Loureiro; representante da STTP, Marília Santiago; o secretário de Assistência Social do município, Robson Dutra; a coordenadora do PROCON municipal, Gláucia Jácome; o presidente e o superintendente do SITRANS, Noaldo Cabral, e Anchieta Bernardino, representantes da Associação dos Deficientes e da Escola de Audiocomunicação entres outros.

Antonio Pereira justifica sua propositura, e fala que são inúmeras as reclamações por parte da população em relação a gratuidade no transporte público de Campina Grande. São pais de crianças menores de 07 anos, estudantes, portadores de necessidades especiais entre outros.
A representante da STTP, Marília Santiago, afirma que até 2007 todos os deficientes que estivessem associados a instituições para deficientes tinham assegurado o direito a gratuidade, porem a partir de abri de 2007 todo e qualquer deficiente teria que passar por uma avaliação para atestar a veracidade da deficiência.

O representante do SITRANS explica como é composta a tarifa e que as gratuidades são pagas pela população. Já a coordenadora do PROCON Gláucia Jacome, afirma que um ponto relevante para a discussão é a passagem estudantil e cita como exemplo a rede particular de ensino e os cursinhos.

O presidente das escolas particulares, Paulo Loureiro, mesmo sem ter uma tabela tarifaria em mãos, acredita que a gratuidade seja um dos fatores que mais pesem no valor total da passagem e afirma que a legislação sobre gratuidade tem que ser revista, pois ainda é de 1974.
Segundo Antonio Pereira (PSB) e através de dados de dezembro de 2008, o valor da tarifa de transporte de Campina Grande é de R$1,71, caso não houve nenhuma gratuidade seria de R$1,41, prova de que o valor que deixa de ser pago nas gratuidades é transferida para a população.

Fernando Carvalho (PMDB) presta reconhecimento aos vereadores presentes na sessão, pois demonstram o interesse pela causa. E menciona que são encontradas situações diferentes em diversas cidades quando o assunto é gratuidade, em algumas não há gratuidade e em outras são implantadas porcentagens de desconto nas passagens (que deveriam ser gratuidades).

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Resumo (Sessão da Câmara de C. Grande – 01/10/2009)


Por
Lidiane Fernandes



A sessão desta quinta (01) iniciou com a leitura do texto bíblico pela vereadora Daniella Ribeiro (PP). Por falta de coro no inicio da sessão, as atividades tiveram continuidade com abertura do pequeno expediente, onde João Dantas (PTN) reforçou o pedido da relação das ruas, avenidas e travessas que serão beneficiadas pela pavimentação por parte da Prefeitura Municipal, ele afirma que o pedido de informação se da para saber se realmente estas ruas serão pavimentadas.

Com a obtenção de coro teve seguimento a sessão, onde foram votados os requerimentos. Ao justificar a autoria de alguns requerimentos o vereador Olimpio Oliveira (PMDB) menciona a falta de atenção por parte de alguns vereadores que se encontram ao celular, os vereadores em questão justificam e se desculpam pelo uso do aparelho dentro do plenário.

Através do mandato popular a vereadora Daniella Ribeiro (PP), propõe alguns requerimentos e ressalta a importância da opinião popular e ainda informa a retirada do conselho formado pelos vereadores desta “casa” na Comissão Municipal de Saúde, a vereadora pede que haja uma maior interação sobre o assunto. Inácio Falcão (PSDB) declara ser lamentável a retirada do conselho de vereadores desta comissão, pois desta forma não haverá como ter representantes do povo para melhor esclarecer a população de situação da saúde em nosso município.
Durante as explicações pessoais João Dantas (PTN) faz uso do espaço para falar dos transportes escolares, o vereador ressalta as condições precárias que estes veículos se encontram e em alguns casos sequer existe ônibus escolares em determinadas localidades e continua o site WWW.bancadejornalistas.com traz matéria sobre a falta de ônibus em Massaranduba, onde mais de 1.000 (mil) estudantes estão sendo prejudicados, e isso da pela perseguição política por parte do Governador José Maranhão, que segundo o vereador João Dantas (PTN) não aceita o fato de Campina Grande e região não ter o elegido através do voto. Tovar Correia (PSDB) sugere o motivo que faz com que o Governador José Maranhão não goste da população campinense. É porque a população campinense sabe o que quer quando o assunto é votar, e por este motivo não elegeu José Maranhão. O vereador ainda menciona que durante a abertura dos jogos escolares, há 03 meses houve sorteio de alguns objetos, inclusive uma bicicleta foi sorteada, cujo ganhador foi o Sr. Carlos Alberto Marinho que até o presente momento não recebeu seu prêmio.

Fernando Carvalho (PMDB) esclarece em relação ao transporte escolar que o Governo do Estado transferiu para a Prefeitura a responsabilidade de gerir este tipo de transporte.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Resumo (Sessão da Câmara de C. Grande – 30/09/2009)



Sessão da quarta (30) presidida por Cassiano Pascoal (PSL), e secretariada por Peron Jupiassu (PT), tendo inicio com a leitura do texto bíblico pelo vereador João Dantas (PTN). Ficou justificada a ausência da Vereadora Ivonete Ludgério (PSDB).
João Dantas (PTN) lembra do anuncio da prefeitura fez em fevereiro, onde se prometia o investimento de 10 milhões para solucionar o problema do lixão e fala também da promessa por parte da prefeitura municipal de pavimentar 400 ruas em nossa cidade, o vereador solicita relação com o nome das ruas a serem pavimentadas, assim como localização e extensão das mesmas.

Olimpio Oliveira (PMDB) fala sobre matéria veiculada na Veja da semana passada onde trazia entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que defende a descriminalização da maconha. O vereador questiona descriminar o que mais, pois A Folha de SP em 21/09 traz artigo onde é mostrada pesquisa realizada nas principais universidades de São Paulo, onde 56% dos estudantes usam regularmente a maconha, inclusive nas unidades estudantis. O vereador ainda fala das punições para usuários que ele considera não ser tão eficiente quanto devia ser, pois não surte os efeitos desejados.

Fernando Carvalho (PMDB) discute a importância de ser implantado um sistema informatizado na Câmara Municipal. Pois iria acabar com a entrada de projetos já existentes, ou de extrema semelhança. O vereador Antônio Pimentel (PMDB) menciona o cuidado existente em relação aos projetos de lei, para que não se repitam. Nelson Gomes Filho (PRP) pede maior cooperação dos 16 vereadores, para melhor realização das funções da casa, pois também já aconteceu da secretaria de apoio parlamentar informar que já existia um projeto com a mesma natureza, no entanto o vereador insistiu na inclusão do seu projeto, e assim ela teve que fazer. Antônio Pimentel (PMDB) ainda falou da possibilidade de contratação de uma empresa para digitalizar todos os projetos de leis do município de Campina Grande por assunto, pois, ajudaria a CMCG.
O vereador Jóia Germano (PRP) fez requerimento verbal, que foi aprovado, de minuto de silêncio pela morte de Dona Maria da Silva que morava no bairro José Pinheiro.

João Dantas (PTN) se pronunciou a respeito à moradia do cidadão campinense citando uma reportagem que foi publicada no site www.bancadejornalistas.com.br, onde uma senhora procurou a CMCG para denunciar a situação de moradia que enfrenta hoje por parte do descaso da CEHAP. Falou das casas onde o telhado, a madeira, enfim, os materiais estão sendo roubados e pediu que houvesse fiscalização.



terça-feira, 29 de setembro de 2009

Resumo da Sessão da Câmara (C. Grande – 29/09/2009)


Por
Lidiane Fernandes

A sessão da terça (29) teve inicio com a leitura do texto bíblico pelo vereador Laelson Patrício (PT do B), e teve continuidade com a leitura de expediente, das atas e dos requerimentos ambas realizadas pela vereadora Ivonete Ludgério (PSDB), que secretariou a sessão. Entre os requerimentos tivemos: Requerimentos para o calçamento de ruas; realização de uma sessão especial para discutir a criação da secretaria de ciência tecnologia de Campina Grande; melhoramento na iluminação e a retirada de um matagal nas proximidades da quadra de esportes Evonilson Menezes localizada na Rua Rio de Janeiro no bairro da liberdade; Instalação de câmeras filmadoras nos postos da operação Manzuá; a urgente recuperação do asfalto no bairro Dinamérica e na Avenida Floriano Peixoto – do centenário até o conjunto Álvaro Gaudêncio (Malvinas); Solicita da Prefeitura municipal de Campina grande a construção de uma praça entre as ruas Pedro Maciel e Pinta Marinha Santiago no bairro das Malvinas; a reestruturação das “lombadas” e redutores de velocidade da rua Freira Francisca de Gusmão no bairro de Bodocongó; Investigação por parte da STTP em relação a comercialização ilegal de passagens através do cartão “Vale Mais” dentro dos ônibus; Requer da STTP a demarcação do estacionamento destinado aos transportes de valores em frente às agencias bancarias de Campina Grande.
O vereador Olímpio Oliveira (PMDB), discute o requerimento de Tovar Correia (PSDB), que requer da secretaria de educação do município, que esta promova junto PMCG, a inclusão de salas de aula para crianças excepcionais nas escolas do município. Segundo Olimpio Oliveira este requerimento fere a lei de inclusão do deficiente, pois estaria de certa forma constrangendo e causando discriminação, e sugere a retirada do requerimento.
Antonio Pereira (PSB) se acosta nas palavras de Olimpio e pede vistas para o requerimento também do vereador Tovar Correa, que trata do estacionamento especial para veículos de valores em nossa cidade. O pedido de vista é aceito por Tovar Correia, que também aceita a sugestão de Olimpio Oliveira e retira o requerimento sobre a criação de salas especiais para deficientes.
Jóia Germano (PRP) fala da inconveniência que é causada por parte dos veículos de valores, os horários em que esses veículos se encontram em frente aos bancos são incompatíveis com o fluxo de pessoas e de veículos que transitam no mesmo horário, nas imediações do centro da cidade.
Tovar ainda menciona o recadastramento dos IPTU’s, pois muitos imóveis se encontram com valores a ser pagos menores que o que deveria ser. Com isso todos sairiam ganhando com uma maior arrecadação.
Peron Japiassu (PT) parabeniza o vereador Antônio Pimentel (PMDB) pelo nascimento de seu neto na última sexta (25). Daniella Ribeiro (PP) ressalta a importância de uma sessão especial para discussão da criação da secretaria de ciência e tecnologia. A sessão é finalizada com as explicações pessoais.

domingo, 13 de setembro de 2009

ANTES DE SER MÃE...



Antes de ser mãe, eu fazia e comia os alimentos ainda quentes. Eu não tinha roupas manchadas, tinha calmas conversas ao telefone.
Antes de ser mãe, eu dormia o quanto eu queria, Nunca me preocupava com a hora de ir para a cama. Eu não me esquecia de escovar os cabelos e os dentes.


Antes de ser mãe, eu limpava minha casa todo dia. Eu não tropeçava em brinquedos e nem pensava em canções de ninar. Antes de ser mãe, eu não me preocupava: Se minhas plantas eram venenosas ou não. Imunizações e vacinas então eram coisas em que eu não pensava.
Antes de ser mãe, ninguém vomitou e nem fez xixi em mim, Nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.



Antes de ser mãe, eu tinha controle sobre a minha mente, Meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos, e dormia a noite toda.
Antes de ser mãe, eu nunca tive que segurar uma criança chorando, para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções. Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam. Nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha. Nem fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.


Antes de ser mãe, eu nunca segurei uma criança, só por não querer afastar meu corpo do dela. Eu nunca senti meu coração se despedaçar, quando não pude estancar uma dor. Nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina, pudesse mudar tanto a minha vida e que pudesse amar alguém tanto assim. E não sabia que eu adoraria ser mãe.


Antes de ser mãe, eu não conhecia a sensação, de ter meu coração fora do meu próprio corpo. Não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto. Não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança. E não imaginava que algo tão pequenino, pudesse fazer-me sentir tão importante.


Antes de ser mãe, eu nunca me levantei à noite toda, cada 10 minutos, para me certificar de que tudo estava bem. Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor,a dor e a satisfação de ser uma mãe. Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes. Por tudo e, apesar de tudo, obrigada Deus, Por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.
Obrigada meu Deus, por permitir-me ser a Mãe da Gabriele...

sábado, 12 de setembro de 2009

Entrevista com Antônio Maia (Clínica Dr. Maia)

P.Qual é o número de funcionários da clínica?
R. São 62 funcionários. Sendo 5 médicos especialistas em psiquiatria,1 clínica geral, 3 enfermeiros, 2 psicólogos, 1 nutricionista, 3 assistentes sociais. E os gerais, técnicos e auxiliares de enfermagem e o pessoal de apoio.

P. E com relação ao número de pacientes?
R. Nós temos 128 leitos cadastrados pelo SUS. Estamos solicitando a secretaria de saúde do município para reduzir para 120. Mas, por uma questão política eles não querem atender o pedido dagente. A demanda é muito grande, mas por uma questão técnica para agente é mais interessante que agente opere com 120 leitos.

P. E sobre a parte privada da clínica?
R. São 132 leitos ao todo, e 128 desses são dedicados ao SUS. Ano passado agente atendeu pacientes oriundos de 103 municípios da Paraíba, mesmo com os CAPS como tratamento alternativo, agente continua recebendo uma demanda muito grande.

P. Quais as dificuldades encontradas pela clínica no tratamento dos pacientes?
R. Primeiro a própria demanda que é muito grande. Em segundo esses serviços alternativos de apoio ao paciente com transtorno mental não estão funcionando do jeito que foram criados para funcionar, não têm profissionais suficientes, por uma série de coisas continuam sendo mandados para cá. A terceira é a questão financeira com o advento da Reforma Psiquiátrica que veio exclusivamente para sufocar os Hospitais. Como não conseguiram acabar com os hospitais por lei com o projeto Paulo Delgado que tentaram acabar com os hospitais por inanição financeira, nós passamos 12 anos sem o reajuste de tabela.

P. Como se dá o processo de internamento dos pacientes?
R.
A partir do momento que o paciente é admitido ele passa por todo o processo disciplinar, passa por psicólogo, enfermeiros, assistente social, a clínica médica para fazer avaliação no paciente, toda a equipe participa do processo de admissão do paciente. Depois segue a rotina do Hospital, porque agente tem um projeto que se chama Projeto Terapêutico em que todo paciente que é internado segue rigorosamente o processo do projeto.

P. Todos os pacientes são atendidos aqui mesmo, ou algum em sua residência?
R.
Sim todos os pacientes são atendidos aqui, nós não trabalhamos com atendimento em domicílio.

P. Quanto tempo os pacientes ficam internados na clínica?
R.
A média de permanência dos pacientes é de no máximo 42 dias, não mais que isso. Nós não temos residentes, só trabalhamos com internações.

P. Quando a clínica foi fundada?
R.
Essa clínica foi fundada em 1966 pelo médico psiquiatra Raimundo Maia de Oliveira, meu pai, ele veio do Ceará, implantou um serviço de psiquiatria em campina numa clínica que funcionava no Pedro I.. A partir daí ele foi criando outros serviços e culminou com a inauguração dessa clínica em 16 de dezembro de 1966, então já temos 41 anos de funcionamento. É uma empresa basicamente familiar, minha mãe Neli Maia também tomou conta, e hoje quem ta á frente sou eu.


P. Com relação à estrutura, a disposição dos leitos como estão divididas?

R. As enfermarias são formadas de 3 a 6 leitos, não mais que isso. Nós temos oficina, lavanderia própria, cozinha. Todo o serviço de manutenção é feito no próprio Hospital, agente não terceiriza nada, apenas a parte de informática.


P. Na sua opinião, qual a importância dos parentes no tratamento?
R.
A importância é fundamental, essa parte agente trabalha muito, o Serviço Social dagente tem um trabalho muito bom com a relação do paciente com a família. Um dos principais pontos é exatamente esse o apoio que a família dá ao paciente é fundamental para o seu tratamento. E infelizmente agente tem uma dificuldade que ás vezes os familiares do paciente acham que ele tem que morar aqui e não é o trabalho dagente, essa não é a função dagente. A meta dagente é tratar.

P. Você acha que com essa Reforma Psiquiátrica e com a formação dos CAPS, poderá extinguir os Hospitais?
R. Não,não acredito. Até porque os Hospitais que foram fechados foi por deficiência técnica. Eu acho que se não está funcionando tem que fechar mesmo, não só Hospital psiquiátrico como Hospital geral também, se não está funcionando a contento, se existe um plano de avaliação dos hospitais pelo SUS e não está funcionando, então tem que fechar qualquer serviço que seja. A população não pode ficar pagando para manter um serviço que não esteja a contento.

P. A clínica também atende pacientes dependentes de drogas?
R. Sim,boa parte dos nossos pacientes hoje são usuários de drogas, não só pacientes com enfermidades neurológicas.

Ficha técnica Clínica Dr. Maia

Nome: Clinica Dr. Maia
Fundador: Raimundo Maia de Oliveira
Data da fundação: 16 de dezembro de 1966
Razão Social: Instituto Neuropsiquiátrico de Campina Grande SC LTDA
Tipo de Unidade: Hospital Especializado
Natureza da Organização: Empresa Privada
Diretor Clinico: Antônio Roberto Maia
Endereço: AV Getulio Vargas, 474
Bairro: Centro
Telefone: (83) 3341-3854
Site: www.clinicadrmaiacg@terra
Instalações Físicas:
  • Urgência e emergência
  • Consultórios médicos
  • Ambulatorial
  • Clinica especializada
  • Lavanderia
  • Nutrição e dietética

Tipo de Atendimento:

  • Ambulatorial
  • Internação
  • Urgência Emergência
  • Atendimento de demanda espontânea

Funcionários: 62 funcionários
Pacientes atendidos: 128 pacientes SUS e 04 pacientes particulares
Municípios Cobertos: 103 municípios
Recursos: Provenientes do atendimento SUS e do atendimento particular

quinta-feira, 10 de setembro de 2009


A ASQUAJU-CG vem através desta, informar a comunidade campinense que uma das maiores tradições culturais de nossa cidade esta para ser extinta. Trata-se de nossas quadrilhas juninas, aquelas que no período junino faziam verdadeiros arraiais nos bairros campinense. Tendo aparição incontestável na mídia de supermercados, hotéis, outdoor e Shopping, sendo muito solicitada para aparição nas TV"s quando se trata da mídia do Maior São João do Mundo.

Nossa cidade se orgulhava quando divulgava nada mais nada menos que (300) (trezentas) quadrilhas juninas, hoje infelizmente não passa de (70). Mesmo assim, continuamos fazendo O Maior São João do Mundo. Que, simples mente uma festa, como acontece em qualquer município onde o governo federal manda a verba, e é gasta com bandas de plástico que não condiz com a realidade de nossas tradições.

A falta de compromisso com nossas quadrilhas e tão grande que um simples espaço para as quadrilhas dançarem no parque do povo e negado, deixando-as a reboque de favor dos forrozeiros que tocam na pirâmide. Sem falar do tratamento pessoal que alguns secretários dispensam a coordenação das nossas entidades juninas, chegando ate, a não cumprir com os compromissos financeiros acordado entre prefeitura e quadrilhas deixando as mesmas, sem receber a premiação do festival, sem receber a misera gratificação para custos, e se quer, envio de um serviço de som, para que como e de praxe, fosse realizada a festa de confraternização das quadrilhas, onde os próprios secretários eram convidados.

Também e sabido, e não podemos deixar de reconhecer, que em meio a toda essa falta de vontade, ha na prefeitura alguns dedicados que contribui e reconhece nosso valor, mas infelizmente não tem poderes para nos a tender melhor.

Fonte: ASQUAJU - CG

Resumo (Sessão da Câmara C. Grande – 10/09/2009)





Por
Lidiane Fernandes


A sessão de quinta (10) teve inicio às 09h30min com a leitura do texto bíblico por Antonio Pereira (PSB) e Cassiano Pascoal (PSL) fez a leitura do expediente. Dando continuidade à sessão Cassiano Pascoal (PSL) fala sobre o voto de desagravo a Vitalzinho, que segundo uma rádio da cidade até a bancada de situação teria votado a favor do foto de desagravo as declarações feitas pelo deputado. Cassiano Pascoal (PSL) esclarece que não estava presente na sessão, mas sua bancada apenas optou por abstenção ao voto de desagravo.
Atendendo requerimento do vereador Fernando Carvalho foi realizada sessão especial para discutir a reutilização e o melhor aproveitamento de espaços para a cultura local.
Participaram do evento o coordenador de cultura do município, Alexandre Barros (Tan); a diretora do Teatro Municipal Severino Cabral, Alana Fernandes Brito; o gerente do Museu Histórico, Henri Costa; o diretor de Artes da UEPB, Hipólito Lucena; e o presidente da Associação Campinense de Teatro Amador, Moiséis Alves da Silva, além do grupo teatral EUREKA.
O coordenador de cultura do município, Alexandre Barros, destacou as atividades que estão sendo desenvolvidas, bem como o que os projetos que serão realizados. Também destacou a importância da cultura em nossa cidade.
O presidente da Associação Campinense de Teatro Amador, Moiseis Alves declarou que a sessão se tratava de um momento impar, pois segundo ele falar de cultura significa prazer. Destacou ainda que é preciso fornecer dignidade aos artistas, pois grande parte dos artistas campinenses se encontram em estado de miséria, sequer tem uma moradia. Solicitou a “casa” que se preocupem mais com os museus e finalizou sua fala com a leitura de um texto escrito por um palhaço, que falava da maneira como o povo é tratado por seus governantes.
O professor Hipólito, coordenador do Departamento de Artes da UEPB, divulgou a entrega de mais um museu para a cidade em breve, e que as exposições e galerias de artes irão continuar no Museu de Artes Assis Chateaubriand.



Fotos: Lidiane Fernandes